Força-tarefa remove lixo e desobstrui ruas danificadas pela chuva no Sol Nascente
Quinta, 13 de dezembro de 201813/12/2018
(61) 99814-9639
CIDADES
Força-tarefa remove lixo e desobstrui ruas danificadas pela chuva no Sol Nascente
Representantes das secretarias e dos órgãos responsáveis pela infraestrutura e pelo apoio à região vistoriaram as principais áreas afetadas.
Jander Brasilia - DF
Postada em 04/11/2017 ás 07h52
Força-tarefa remove lixo e desobstrui ruas danificadas pela chuva no Sol Nascente

Para atender os moradores do Sol Nascente atingidos pelas fortes chuvas de quarta e quinta-feiras (2), o governo de Brasília montou uma força-tarefa nesta sexta-feira (3). Representantes das secretarias e dos órgãos responsáveis pela infraestrutura e pelo apoio à região vistoriaram as principais áreas afetadas.


O secretário das Cidades, Marcos Dantas, explicou que o trabalho feito, de início, consistiu em limpar a sujeira, como lixo e lama, trazida pela chuva. “Há várias ligações clandestinas que ocasionam esses problemas. Ontem, tiramos um pneu de uma das redes de esgoto que estava obstruída”, observou.


O Executivo local reforçou a atenção às áreas atingidas com equipes e maquinário, parte dele já existente no local, que passa por amplo processo de urbanização. Desde meados de setembro, o número de máquinas que executam as obras no Sol Nascente passou de 25 para 38.


A orientação de governo é dar prioridade ao restabelecimento da normalidade na região, segundo Dantas. “Além da força-tarefa, o governo desenvolveu um comitê de crise para priorizar a atenção a essa área. Ainda reforçamos o número de máquinas”, apontou.


As áreas mais afetadas foram os Trechos 2 e 3, onde os trabalhos ainda não estão concluídos. “No Trecho 2, estamos com diversas obras, asfaltando as ruas. O Trecho 3 ainda não teve a intervenção do governo, e toda a água de Ceilândia é jogada para essa parte”, descreveu o secretário.


O Trecho 1 do Sol Nascente recebeu as melhorias e teve a urbanização concluída. As obras de drenagem do Trecho 2 estão 60% executadas, e as do Trecho 3 começaram em setembro.


Para o secretário de Infraestrutura, Antônio Coimbra, o efeito da chuva poderia ter sido pior se não houvesse as ações do governo. “O Trecho 1, por exemplo, não teve problema”, disse.


Além de Dantas e Coimbra, acompanharam a inspeção no Sol Nascente a secretária de Projetos Estratégicos, Maria de Lourdes Abadia, e o diretor-presidente da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), Júlio Menegotto.


Atendimento a famílias


Nos dois dias de chuva, a Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos atendeu 14 famílias que tiveram as casas danificadas.


Para sete delas, foi solicitado o benefício vulnerabilidade (até seis parcelas de R$ 400 por mês) e o excepcional — o aluguel social, de até 12 parcelas de R$ 600 mensais.


O Condomínio Sol Nascente recebe, desde 2015, asfalto, redes de águas pluviais e equipamentos públicos diversos. Segundo a Secretaria de Infraestrutura, a urbanização do local vai beneficiar cerca de 95 mil moradores.


No Trecho 1, há obras de infraestrutura que englobam a conclusão de 25,2 quilômetros de redes de drenagem; cinco lagoas de detenção; e a pavimentação de 304,9 mil metros quadrados de vias, de 7 metros de largura, o equivalente a 44 quilômetros.


As intervenções no Trecho 2 compreendem a execução de 30,3 quilômetros de redes de drenagem, a construção de três lagoas de retenção, além da pavimentação de 493,5 mil metros quadrados de vias, o equivalente a 70 quilômetros de vias de 7 metros de largura.


No Trecho 3, o contrato prevê 21,3 quilômetros de redes de drenagem, três lagoas de retenção e 450,5 mil metros quadrados de pavimentação.


No total, são investidos R$ 220,3 milhões em benfeitorias no setor habitacional. Os recursos são originários da Caixa Econômica Federal (75%), com contrapartida do governo de Brasília (25%).

FONTE: Agencia Brasilia
tags:
• Para atender os moradores do Sol Nascente atingidos pelas fortes chuvas de quarta e quinta-feiras (2)• o governo de Brasília montou uma força-tarefa nesta sexta-feira (3). Representantes das secretarias e dos órgãos responsáveis pela infraestrutura e pelo apoio à região vistoriaram as principais áreas afetadas. O secretário das Cidades• Marcos Dantas• explicou que o trabalho feito• de início• consistiu em limpar a sujeira• como lixo e lama• trazida pela chuva. “Há várias ligações clandestinas que ocasionam esses problemas. Ontem• tiramos um pneu de uma das redes de esgoto que estava obstruída”• observou. O Executivo local reforçou a atenção às áreas atingidas com equipes e maquinário• parte dele já existente no local• que passa por amplo processo de urbanização. Desde meados de setembro• o número de máquinas que executam as obras no Sol Nascente passou de 25 para 38. A orientação de governo é dar prioridade ao restabelecimento da normalidade na região• segundo Dantas. “Além da força-tarefa• o governo desenvolveu um comitê de crise para priorizar a atenção a essa área. Ainda reforçamos o número de máquinas”• apontou. As áreas mais afetadas foram os Trechos 2 e 3• onde os trabalhos ainda não estão concluídos. “No Trecho 2• estamos com diversas obras• asfaltando as ruas. O Trecho 3 ainda não teve a intervenção do governo• e toda a água de Ceilândia é jogada para essa parte”• descreveu o secretário. O Trecho 1 do Sol Nascente recebeu as melhorias e teve a urbanização concluída. As obras de drenagem do Trecho 2 estão 60% executadas• e as do Trecho 3 começaram em setembro. Para o secretário de Infraestrutura• Antônio Coimbra• o efeito da chuva poderia ter sido pior se não houvesse as ações do governo. “O Trecho 1• por exemplo• não teve problema”• disse. Além de Dantas e Coimbra• acompanharam a inspeção no Sol Nascente a secretária de Projetos Estratégicos• Maria de Lourdes Abadia• e o diretor-presidente da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap)• Júlio Menegotto. Atendimento a famílias Nos dois dias de chuva• a Secretaria do Trabalho• Desenvolvimento Social• Mulheres• Igualdade Racial e Direitos Humanos atendeu 14 famílias que tiveram as casas danificadas. Para sete delas• foi solicitado o benefício vulnerabilidade (até seis parcelas de R$ 400 por mês) e o excepcional — o aluguel social• de até 12 parcelas de R$ 600 mensais. O Condomínio Sol Nascente recebe• desde 2015• asfalto• redes de águas pluviais e equipamentos públicos diversos. Segundo a Secretaria de Infraestrutura• a urbanização do local vai beneficiar cerca de 95 mil moradores. No Trecho 1• há obras de infraestrutura que englobam a conclusão de 25• 2 quilômetros de redes de drenagem; cinco lagoas de detenção; e a pavimentação de 304• 9 mil metros quadrados de vias• de 7 metros de largura• o equivalente a 44 quilômetros. As intervenções no Trecho 2 compreendem a execução de 30• 3 quilômetros de redes de drenagem• a construção de três lagoas de retenção• além da pavimentação de 493• 5 mil metros quadrados de vias• o equivalente a 70 quilômetros de vias de 7 metros de largura. No Trecho 3• o contrato prevê 21• 3 quilômetros de redes de drenagem• três lagoas de retenção e 450• 5 mil metros quadrados de pavimentação. No total• são investidos R$ 220• 3 milhões em benfeitorias no setor habitacional. Os recursos são originários da Caixa Econômica Federal (75%)• com contrapartida do governo de Brasília (25%).
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

imprimir
119