Catetinho é interditado para remover abelhas que são ‘patrimônio genético’
Quinta, 13 de dezembro de 201813/12/2018
(61) 99814-9639
CIDADES
Catetinho é interditado para remover abelhas que são ‘patrimônio genético’
Retirada exige cuidados especiais para garantir a preservação, explica Secretaria de Cultura
Ronaldo Martins Riacho FM - DF
Postada em 09/09/2018 ás 20h26
Catetinho é interditado para remover abelhas que são ‘patrimônio genético’

A partir desta segunda-feira (10), a primeira residência da capital ficará interditada para a retirada de colmeias de abelhas, que se instalaram por dentro das paredes de madeira da estrutura. O espaço ficará fechado até o dia 17 deste mês. Inaugurado em 1956, o Catetinho abrigou o presidente Juscelino Kubitschek e é aberto à visitação.

A remoção precisará ser feita com cuidado. Apicultores analisaram os insetos e atestaram que as abelhas encontradas no local correm risco de extinção e se configuram patrimônio genético do Distrito Federal. “Por isso, a retirada exige cuidados especiais para garantir a preservação da fauna ali representada, protegida pela legislação brasileira (art. 225 da Constituição Federal e Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998)”, explica o comunicado da Secretaria de Cultura.

Para a remoção das abelhas, o revestimento de madeira da fachada externa do Catetinho também será retirado. “Toda a ação será observada de perto por servidores das áreas de conservação, restauro e museologia da Subsecretaria de Patrimônio Cultural da Secretaria de Cultura. Esse acompanhamento é fundamental para garantir que o processo seja realizado sem danos que comprometam as características originais da edificação tombada como patrimônio histórico do Brasil”, informa a pasta.

As colmeias serão transferidas para apiários, onde terão as condições adequadas para seguir o ciclo de vida da espécie.

Educação patrimonial

Com a retirada do madeiramento externo do monumento, a Secretaria de Cultura aproveitará para realizar atividades de educação patrimonial, abordando temas como preservação do patrimônio cultural e genético. “Também será uma oportunidade única para que os visitantes possam visualizar a parte interna desse simbólico projeto arquitetônico, assinado por Oscar Niemeyer, que caracteriza o modelo adotado nas primeiras construções de Brasília”, aponta. O Catetinho será reaberto a partir do dia 17 de setembro.

Relembre

Conforme o Jornal de Brasília mostrou na semana passada, quem frequentou o espaço deu de cara com um aviso: “Cuidado! Abelhas”. Em um aviso, a Subsecretaria do Patrimônio Cultural explicava que a instalação dos insetos se deu por conta da mata próxima e pedia desculpas pelo transtorno. “A retirada não destrutiva da colmeia, para um apiário de cultivo, está sendo providenciada”, dizia o aviso. Um outro aviso ainda alertava quem tem alergia à picada do inseto.

Ao contrário de outros espaços culturais da capital, no Catetinho, a estrutura da edificação não apresenta muitos problemas. No entanto, o subsecretário de Patrimônio Cultural, Gustavo Pacheco, reconheceu que os pontos prioritários são os museus de madeira. “Já fizemos alguns reparos, como escoras, trocamos vigas, descupinização, mas ainda há muita coisa a ser feita. Não basta resolver problemas pontuais, precisa manter”, comentou.
FONTE: Jornal de Brasil
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

imprimir
102