GDF e comunidade de mãos dadas para melhorar a saúde pública
Quarta, 26 de junho de 201926/6/2019
(61) 99814-9639
PI 4013
CIDADES
GDF e comunidade de mãos dadas para melhorar a saúde pública
Governo lança projeto piloto de auditoria no Hospital Regional do Paranoá. Primeira-dama, Mayara Noronha, é embaixadora da iniciativa
Jander Brasilia - DF
Postada em 09/04/2019 ás 10h12 - atualizada em 10/04/2019 ás 10h12
GDF e comunidade de mãos dadas para melhorar a saúde pública

A primeira-dama do DF, Mayara Noronha, lançou nesta terça-feira (9), no Hospital Regional Leste, o projeto piloto de controle social “De Olho na Saúde”. A iniciativa da Controladoria-Geral do DF quer estimular a participação ativa da comunidade com a promoção de auditorias cívicas, para aprimorar os serviços públicos prestados pelas unidades de saúde do DF.


“A identidade desta gestão é essa: um governo de parceria com a sociedade. Convocando a comunidade a participar mais. Ninguém melhor para avaliar e colaborar com propostas do que a própria comunidade que vivencia o dia a dia desses locais”, avaliou Mayara Noronha, que aceitou o convite para ser a embaixadora do “De Olho na Saúde”.


O secretário Controlador-Geral do DF, Aldemário Castro, destacou as dificuldades do governo para melhorar a saúde pública mas disse acreditar que o programa pode mostrar os passos para essa mudança de realidade. “É um desafio monumental. Sozinho ninguém vai resolver os problemas. É necessária uma união de esforços e é isto que estamos propondo”.


O projeto conta com a parceria da Secretaria de Saúde do DF, Conselhos de Saúde e das Regiões Administrativas (RAs) do Paranoá, São Sebastião e Itapoã. Para realizar a auditoria, será formado um grupo com representante de cada Conselho de Saúde e das RAs envolvidas, voluntários, servidores do HRL e da Secretaria de Saúde. “Nos próximos dias, faremos a capacitação de 16 pessoas e em seguida, vamos para dentro do hospital captar as informações”, explicou o subcontrolador de Transparência e Combate à Corrupção, Paulo Martins.


Segundo Martins, o projeto propõe uma mudança de enfoque. “Não queremos apenas verificar os problemas, mas também identificar as boas práticas para propor a extensão delas para toda a rede de saúde”. Após a auditoria dentro da unidade de saúde, o grupo fará um relatório técnico. “Nosso planejamento prevê a conclusão dos trabalhos para julho. Esse é um projeto que não é apenas uma parceria com a sociedade, mas acima de tudo um projeto de estímulo à cidadania”, avaliou.


Integrante do Conselho de Saúde do Paranoá, a aposentada Josefa Moraes Sobrinho, 93 anos, estava muito empolgada. “É uma grande esperança de que as coisas mudem por aqui. Há vários anos, acompanho de perto a geriatria do hospital. Os servidores se esforçam muito, trabalham bem. Mas há situações que precisam ser resolvidas. Gente, é um absurdo termos um aparelho de Densitometria Óssea numa caixa por décadas sendo que os idosos estão precisando”, conta a conselheira.


Segundo dona Zefinha, o grupo de auditores poderá encontrar uma solução para o destino do aparelho de densitometria, mas também para outras situações como falta de servidores em turnos alternados. “É um pente-fino que vão fazer aqui. Quem está de fora pode ver melhor e oferecer alternativas para resolver esses problemas, que viram um problemão para quem está aqui buscando se tratar de alguma doença”.

FONTE: RENATA MOURA, DA AGÊNCIA BRASÍLIA
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô: