Plano estratégico do GDF quer fortalecer inteligência policial
Quarta, 26 de junho de 201926/6/2019
(61) 99814-9639
PI 4013
BRASIL
Plano estratégico do GDF quer fortalecer inteligência policial
Um dos objetivos é aumentar em 30% as ações do Centro Integrado de Operações de Brasília
Jander Brasilia - DF
Postada em 10/06/2019 ás 08h53
Plano estratégico do GDF quer fortalecer inteligência policial

O conjunto de desafios e metas do Plano Estratégico do DF 2019-2060 prevê, para o eixo temático segurança, a implementação de algumas políticas específicas de gestão (integrada) e operacionalização de serviços.


Para atingir esses objetivos, a primeira batalha do Plano é o desenvolvimento de uma gestão focada em resultados, com o fortalecimento da governança e da inteligência na segurança pública.


A ideia é que haja maior integração e agilidade no combate à criminalidade e às facções criminosas, demonstrando que o uso de dados, a transparência e a integração são vetores fundamentais para o sistema de segurança do Distrito Federal.


O Plano propõe um aumento de 30% nas operações integradas no Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob) – e é esse o principal resultado-chave a ser alcançado.


Isso passa pela modernização dos sistemas de dimensionamento da força de trabalho ao controle de frota operacional – e entra nas questões de monitoramento e revisão de protocolos das operações.


Segundo o secretário de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF), Anderson Gustavo Torres, o fortalecimento da segurança pública do Distrito Federal passa, necessariamente, pelo incremento e aprimoramento das atividades de inteligência.


“A coleta de dados e, principalmente, sua análise criteriosa são hoje atividades que permitem que o DF seja referência em segurança pública no país. Mesmo assim, estamos certos de que ainda há como melhorar, e o cidadão irá perceber isso ao longo dos próximos quatro anos”, ressalta ele.


Outros projetos e ações


O combate ao feminicídio é tratado como prioridade, com programas e medidas programados de forma perene e integrada entre a Secretaria de Segurança Pública e demais pastas do governo local


Tornozeleiras
Foto: Tony Winston/Agência Brasília
Uma das ações do GDF foi propor que condenados por agressão em cumprimento de pena sejam monitorados por tornozeleiras que podem ser acionadas pelas vítimas em caso de aproximação. A medida foi levada ao Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), responsável pela instalação dos equipamentos nos apenados.


Atenção à mulher
Em abril, foi inaugurado o Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam), na estação do Metrô da 102 Sul. O espaço oferece, de forma gratuita, o acolhimento e acompanhamento social, psicológico, pedagógico e de orientação jurídica.


Delegacias 24 horas
Promessa de governo de Ibaneis Rocha, as delegacias estão funcionando 24h para o registro de ocorrências. A reabertura de todas as unidades ocorreu antes dos 100 dias de governo.


Área central


Medidas pontuais também colaboraram para reforçar a segurança no DF. Uma delas é a operação Área central, com profissionais das forças de segurança e de 20 agências públicas para a prevenção e combate ao crime. Dividida em fases, a operação deve durar até outubro.


Focos específicos
As operações Prioridade, com foco nos pontos cinzentos de criminalidade; Cidade segura, que mira áreas críticas; e Perímetro seguro, no combate da possível entrada de drogas e contrabando por meio das rodovias que circundam o DF, reforçam a série de medidas tomadas pelo GDF.

FONTE: AGÊNCIA BRASÍLIA *
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô: